A dieta do paleolítico, também conhecida por dieta paleo era a dieta dos caçadores recoletores. A dieta paleo não é nenhuma dieta “inventada” ou seja criada por algum guru ou médico em particular, mas é o tipo de alimentação dos nossos antepassados pré-históricos que viveram na era do Paleolítico.

A dieta paleo é uma dieta pobre em hidratos de carbono, o que leva, portanto, à perda de peso. Contudo, o seu grande objetivo é proteger-nos das doenças crónicas e maximizar a saúde e bem-estar. Por isso, a maioria das pessoas que seguem este tipo de alimentação, fazem-no sobretudo, como um estilo de vida saudável para alcançar um nível ótimo de saúde.

Dieta do Paleolítico ou Dieta Paleo – qual a sua origem?

O interesse pela dieta Paleo tem aumentado cada vez mais nos últimos anos, sobretudo depois que o Dr. Eaton publicou em 1985 um artigo chamado a Nutrição do Paleolítico, no prestigioso jornal de medicina (New England Journal of Medicine). O Dr. Eaton dizia que a dieta ideal para todas as pessoas, deveria ser igual à alimentação dos nossos antepassados, pela simples razão de que, o nosso organismo, em termos genéticos, continua a ser o mesmo que o dos nossos antepassados. Concluindo que, a alimentação atual não está, portanto, em sintonia com os nossos genes.

Desde então, muitos cientistas começaram a estudar os hábitos alimentares dos caçadores coletores, e a partir daí vários autores começaram a promover a dieta Paleo. Uma das pessoas que mais investigações tem realizado nos últimos 20 anos é o Dr. Loren Cordain, sendo um dos principais defensores da atualidade da dieta Paleolítica, tendo escrito numerosos artigos e livros a defender e a explicar os benefícios da dieta Paleo.

Embora cada autor tenha a sua forma diferente de fazer a dieta do Paleolítico, todas têm uma base comum, que é a seguinte: excluir os alimentos que não fizeram parte da evolução do ser humano e, para os quais, o nosso corpo não está geneticamente adaptado. Que alimentos são esses? Pois essencialmente os que apareceram com a descoberta da Agricultura, como os cereais. Mas, para entender melhor como deve ser a dieta Paleo, nada melhor que fazer um breve resume da alimentação humana ao longo da História.

História da alimentação humana

O Homem do Paleolítico era caçador recolector, tal quer dizer que na sua alimentação predominava os animais de caça, mas também o peixe e os alimentos de origem vegetal que ia colhendo da Natureza, tais como frutos silvestres, raízes, vegetais, frutos secos, mel, sementes, mas também insectos e larvas.

Na sua alimentação os cereais e grãos, o leite e produtos lácteos não existiam, pois não estavam disponíveis, porque só começaram a existir após a criação da agricultura e a domesticação dos animais, há cerca de dez mil anos.

A agricultura mudou a alimentação do Homem

A descoberta da agricultura revolucionou a vida do Homem, impondo alterações na sua forma de comer. Os alimentos predominantes eram os cereais e grãos. Muitos séculos mais tarde, já na nossa era, sobretudo nestas últimas décadas, a Industria Alimentar começou a criar alimentos práticos e sempre disponíveis todo o ano – como os cereais refinados e muitos produtos processados.

O aparecimento da agricultura, teve lugar há tão somente 10 mil anos, o que representa um pequeno lapso no tempo, quando comparado com o período do Paleolítico – esse período longo na história da humanidade que durou cerca de 2 milhões e meio de anos e, no qual a nossa espécie teve tempo para adaptar geneticamente o seu metabolismo à alimentação que a Natureza lhe ia oferecendo.

Isto quer dizer que os nossos genes não tiveram tempo para fazer as adaptações genéticas necessárias, por isso e, segundo os defensores da dieta do Paleolítico, deveríamos continuar a alimentar-nos como na era do Paleolítico. Veja o que comer na dieta Paleo.

A alimentação moderna, ao contrário da dieta do Paleolítico, é abundante em cereais e produtos fabricados. Estes produtos são, para os nossos genes, alimentos estranhos, e aos quais o nosso organismo não está adaptado, pelo que vão alterar o funcionamento normal do corpo humano, dando origem às doenças como a obesidade, hipertensão, doenças cardiovasculares, intolerâncias alimentares, osteoporose etc.

Benefícios da dieta Paleo

Muitos dos benefícios da dieta Paleolítica têm fundamento científico, embora sempre haja alguma controvérsia. No entanto, muitas pessoas com diversas doenças dizem ter encontrado alivio com esta dieta. Os principais benefícios associados com a dieta Paleo são:

  • Alívio das doenças auto-imunes (relacionadas com o glúten e a caseína que se encontram nas proteínas do trigo e leite): doença celíaca, dermatite herpetiforme, artrite reumatóide, esclerose múltipla, doença de Parkinson, síndrome de fadiga crónica, déficit de atenção e autismo
  • Prevenção de várias doenças: doença cardiovascular, osteoporose, diabetes tipo 2, hipertensão arterial, hipertrigliceridemia, obesidade
  • A dieta Paleo conduz à perda de peso, devido à redução dos hidratos de carbono (elimina os cereais e produtos refinados).
  • Reduz a inflamação, graças aos ácidos gordos ómega 3. Os animais criados em pasto têm um melhor equilíbrio dos ácidos gordos ómega 6/ómega 3.
  • Combate a fadiga
  • Melhora problemas digestivos
  • Melhora o equilíbrio dos níveis de sódio/potássio no corpo (importante para a saúde)

Em definitiva, a dieta Paleo, não só ajuda a perder peso como melhora a saúde em geral. Por isso é a dieta ideal para o ser humano, porque está em sintonia com os nossos genes. A dieta Paleo deve ir acompanhada da prática de uma atividade física, já que, na era do Paleolítico o Homem era nómada, o que quer dizer que se encontrava em constante movimento pela Natureza.