Jantar sem hidratos de carbono, pode ajudar a emagrecer, sem ter de renunciar totalmente aos hidratos de carbono ao longo do dia, como determinam muitas dietas proteicas.

Muitas dietas que se baseiam na restrição dos hidratos de carbono, sem serem dietas ricas em proteína, recomendam apenas à noite, retirar totalmente os hidratos de carbono, mas permitindo manter a sua ingestão ao pequeno almoço e ao almoço. Este tipo de dieta pretende transmitir a ideia de que é possível “emagrecer a dormir”.

Jantar sem hidratos de carbono – a ideia que está por detrás desta teoria

Os hidratos de carbono são a fonte por excelência de energia do corpo, já que este macronutriente quando ingerido é rapidamente convertido em açúcar. Açúcar este que será utilizado pelo organismo como energia no cumprimento das suas funções vitais, entre elas o facto de que possamos mover-nos e trabalhar.

No entanto, quando se come muitos hidratos de carbono, estes serão armazenados como gordura, mas que o corpo pode voltar a utilizar, desde que lhe damos a possibilidade de o fazer, e assim perdemos peso.

Portanto, é fundamental que se ingira ao pequeno almoço e ao almoço quantidades moderadas de hidratos de carbono, porque um corpo em movimento gasta mais calorias. Porém, à noite a nossa atividade física diminui, visto que depois do jantar iremos dormir ou sentar-nos no sofá. O organismo portanto gasta menos calorias e o metabolismo desacelera, sendo então conveniente fazer um jantar sem hidratos de carbono e, no seu lugar, uma refeição mais rica em proteínas. Assim, damos a possibilidade ao corpo de utilizar as reservas de gordura, o que significa perder alguns quilos. E, desta forma emagrecemos a dormir.

A aplicação do princípio “jantar sem hidratos de carbono”

Evite ao jantar todos os alimentos ricos em amidos, tanto os hidratos de carbono refinados (bolos, bolachas, sumos, refrigerantes…) como também os complexos tais como, pão e massas (até mesmo as variedades integrais), farinhas, arroz, batatas, certas frutas com muito açúcar, e priorize as proteínas e os vegetais pobres em amidos. Veja aqui uma lista de vegetais pobres em hidratos.

Algumas frutas, menos doces são adequados ao jantar. No entanto, as frutas devem ser consumidos em pequenas quantidades, sobretudo quando há muito peso a perder. Se comer muita fruta, isso fornece uma grande quantidade de açúcares, que se armazena como gordura. Algumas frutas que podem ser consumidas em pequenas quantidades são: caquis, morangos, romã, ruibarbo, damasco, coco, mamão, pêssego, framboesa, kiwi, tangerina e ameixas.

Como deve ser um jantar sem hidratos de carbono

A carne e o peixe são sempre permitidos, pois não contêm hidratos de carbono. Sendo assim, estes alimentos não devem faltar num jantar sem carboidratos, e para acompanhamentos os legumes e as verduras pobres em amidos, são sempre os ideais. Boas opções de vegetais são: alfaces variadas, espinafres, pepino, courgettes (abobrinha), espargos, pimentos, cebola, cogumelos, etc.

E como cozinhá-los? Além de cozer, pode grelhar, estufar, guisar, saltear, para tal use um pouco de azeite, especiarias e ervas aromáticas.

De modo a evitar a monotonia culinária, convém alternar entre saladas e legumes, ou seja um dia acompanha com saladas outro dia com legumes que podem ser preparados de várias maneiras. Por exemplo, pode preparar um prato de pimentos assados e berinjela no forno, onde aproveita também para grelhar a carne ou o peixe. Não representa nenhum trabalho, o forno vai cozinhar por si. Quanto mais diversificada é a preparação mais fácil é também à noite comer sem hidratos de carbono.

Além do peixe e da carne outros alimentos ricos em proteínas que podem fazer parte da última refeição do dia, bastante adequadas e de preparação rápida, são os ovos, os queijos, salmão fumado e os enchidos como as muitas variedades de fiambres e presunto.

Em relação ao leite, convém saber que este contém hidratos de carbono, o que é desaconselhável tomá-lo à noite, o iogurte é uma opção mais acertada e os queijos muito mais.

Pode ocorrer, a quem decida jantar sem hidratos de carbono, levar algum tempo a habituar-se. Isto é perfeitamente normal, pois o corpo estava acostumado a uma maior quantidade de hidratos de carbono e agora ele tem de recorrer às suas reservas de gordura para obter a energia de que precisa, mas isso reflete-se positivamente nos quilos a menos.

Esta fase de mudança geralmente dura vários dias. Depois de três a cinco dias o corpo acaba por habituar-se que à noite não há hidratos de carbono.